Queda do PIB global em 2020 e fortalecimento do Bitcoin

Publicado por daniela mainardi em

Segundo a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico(OCDE), as grandes economias mundiais vão sofrer danos menores do que o esperado em decorrência da pandemia. Porém, os países mais pobres sofrerão um impacto maior. Assim, com este balanço, estima-se que o PIB global de 2020 tenha uma queda de 4,5%.
A OCDE prevê que países com fortes economias, como China e Estados Unidos, recuperem seus prejuízos já no ano que vem. Entretanto, países com menos recursos sofrerão mais para se reerguer dos impactos da covid-19.
Seguindo os impactos da pandemia, desta vez na economia brasileira, as vendas e contratação de serviços caíram em 36,1%. Segundo o IBGE, a queda nas vendas foi mais presente nas pequenas empresas. Por sua vez, a maioria das grandes empresas afirmaram não ter tido perda e, algumas, disseram ter aumentado suas vendas.

A erguida do Bitcoin

Em meio a este cenário de instabilidade econômica mundial, quem veio ganhando força foi o Bitcoin. Por ser uma moeda descentralizada, acaba não sofrendo os impactos das crises econômicas de forma direta. Sobretudo, por não ser controlada por um governo, o Bitcoin serve como alternativa de valorizar o dinheiro quando a inflação aumenta. Assim, como no caso da nova nota de R$200, que foi uma alternativa do governo de driblar a inflação. Porém, isso só ressalta o fato do poder de compra do brasileiro ter diminuído durante a crise.
Ainda no fortalecimento do Bitcoin, foi realizado um balanço do mesmo no primeiro semestre de 2020, pela empresa BlueBenx. A criptomoeda teve uma valorização acima do esperado e superou o mercado de ações. Sobretudo, o Bitcoin teve uma valorização acima de 180% e se mostrou potencialmente mais rentável para os investidores.

Criptomoedas desbravando mercados

As moedas digitais estão tomando cada vez mais força no mercado financeiro. Contudo, a novidade desta vez foi a parceria entre a exchange brasileira Mercado Bitcoin com a incorporadora Vitacom. O acordo consiste em permitir o pagamento em criptomoedas para pagar imóveis, segundo o site Valor Investe. Sobretudo, o processo consiste no recebimento do valor em criptomoedas pela exchange e a mesma repassar o valor em reais para a construtora.
Contudo, essa prática já é bem comum em países da Europa, Estados Unidos e Emirados Árabes. A intenção da parceria é trazer esta realidade também para o Brasil.

Criptomoedas ao seu alcance

E você? Já aderiu às criptomoedas? Pode parecer um mercado um pouco complicado para quem não está tão por dentro do assunto, mas a nossa intenção é simplificar tudo para você. A Ubuntu Finanças aumenta o seu patrônimo através da otimização de capital por meio de criptomoedas. Além disso, não tem taxas e você não precisa dominar o mercado de criptomoedas, fazemos isso por você. Entre em contato com o nosso time e saiba como ser cliente Ubuntu.


Você já nos acompanha nas redes sociais? Siga a Ubuntu Finanças no Facebook, Instagram e Linkedin e fique por dentro das novidades.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 + vinte =