Criptomoedas: conceito, origem, funcionamento, tipos e investimentos. Saiba tudo aqui!

Publicado por Vinicius Gazoni em

Criptomoedas são moedas virtuais obtidas seja por mineração com um computador próprio, seja por compra em sites de carteiras digitais. Há, hoje, diversos tipos de operação para compra e venda e atualmente são ótimas opções para investimentos rentáveis.

Além do fato de serem exclusivamente virtuais, existem 3 características básicas que diferem a criptomoeda das moedas tradicionais: anonimato, descentralização e baixo custo para transações.

É anônimo por não requerer nenhum tipo de informação para operar o serviço. É descentralizado porque não depende de uma figura como o Banco Central, por exemplo, para operações. E tem baixo custo para transações por não ter autoridades impondo quaisquer tipos de taxações, apenas o custo dos mineradores que validam cada transação.

Apesar das vantagens, ainda pairam muitas dúvidas sobre como as criptomoedas surgiram, como elas funcionam, quais os tipos e de que forma investir e ser rentável com ela.

Essas dúvidas começaremos a responder, a partir de agora, neste artigo.

Criptomoedas: onde e quando tudo começou

Podemos dizer que as criptomoedas são os resultados de décadas de pesquisas criptográficas. Isso porque a sua origem nos remete aos anos de 1980. Na época, houve o aumento de interesse em desenvolver moedas digitais – especialmente na figura de David Chaun, que propôs um esquema de “assinaturas cegas”. Construiu, assim, o e-cash: uma moeda digital.

Os anos se passaram e os estudos foram sendo aprofundados. Em 1997, por Adam Back; Um ano depois, Wei Dai criou o “B-Money”. Sua ideia era introduzir a prova de trabalho na criação desta moeda virtual. No mesmo Nick Szabo criou algo parecido, mas com uma maior segurança.

Tomas Sander e Ammon TaShama, em 1999, criaram as árvores Merkle que representavam as moedas e conseguiam comprovar a posse das mesmas. Satoshi Nakamoto unificou os conceitos de criptografia de Szabo com a moeda digital do Wei Dai. Disso, em 2008, criou-se o Bitcoin.

Todos esses sistemas foram aperfeiçoados, ano após ano e, acima de tudo, ficando mais seguros, para chegarmos à criação da moeda digital que conhecemos hoje.

Quais as principais criptomoedas existentes?

Há vários tipos de criptomoedas existentes – umas populares, outras nem tanto. O Bitcoin é sem dúvida alguma a mais famosa delas e você provavelmente já ouviu falar.

Mas há uma lista variada delas. E, dentro dela, podemos destacar as principais:

Como investir em criptomoedas e ser lucrativo?

Como você viu, o desenvolvimento de moedas digitais vem ocorrendo com seriedade e segurança, ao redor do mundo, há décadas. Tudo para tornar sua operação não só confiável, como para facilitar investimentos.

Todavia, quando o assunto é investimentos que fogem do formato tradicional e são arrojados, muitas vezes vem à mente os chamados “esquemas de pirâmide financeira”. Suas promessas de ganhos rápidos e fáceis acabam por iludir pessoas em todo o país – e também no mundo.

Nestes esquemas ilegais, geralmente são oferecidos percentuais em cima da captura de novos clientes. A promessa de resultados desta ação são (obviamente) de lucros enormes. À isso se dá, por muitos, o nome de Marketing Multinível.

Nós da Ubuntu Finanças trabalhamos com estratégias de compra e venda de criptoativos – tudo de maneira automatizada. Dividimos o lucro desta atividade com nossos clientes. E declaramos mensalmente essas compras e vendas feitas.

E como, de fato, ganhar dinheiro investindo em criptomoedas?

Nossa equipe atua de diversas formas – sempre buscando ser lucrativa para o cliente. Um dos processos que usamos é a compra via Exchange (casa de câmbio). É um jeito seguro de agir, onde é possível comprar por preços mais atrativos e vender com lucro.

Outra maneira é o chamado lending – ou aluguel dos Bitcoins para alavancagem financeira. Juros pré-fixados são recebidos e sabe-se, de antemão, a data em que se pode sacar. Trata-se igualmente de um processo seguro que não envolve riscos.

Há ainda a opção de trading – um formato mais complexo e que exige análise gráfica. Isso porque é necessário identificar o momento mais propício para comprar ou então vender.

Caso a venda não seja concluída no mesmo dia, ocorre o chamado “swingtrade”, que nada mais é do que uma venda de maior tempo. Ela ocorre esperando o mercado de atuação subir ou descer. Em ambas as formas há um risco maior envolvido. Todavia, a rentabilidade é proporcional.

Essas maneiras demandam um conhecimento de tendência, mercado e também da correlação entre moedas. Isso porque, quando o Bitcoin desce, outras criptomoedas sobem. Logo, é possível lucrar mesmo com a queda de alguma moeda virtual específica.

A filosofia nos norteia

De um jeito ou de outro, saiba que contamos com uma equipe fixa de colaboradores e prestadores de serviços remunerados por conta de suas atividades – e não pela prospecção escalonada de clientes, como nos esquemas citados acima.

Temos como filosofia e prática diária o tratamento igual entre os clientes. É um princípio fundamental: ninguém recebe e nem nunca receberá percentuais maiores por conta de indicações ou por aplicar quantias maiores.

Conheça mais sobre o trabalho da Ubuntu, venha conversar com a gente e entenda como investir com segurança e maior rentabilidade em criptmoedas.

Obrigado e até a próxima!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um + três =