Geração Z sabe mais sobre criptomoedas do que os Millennials

Publicado por daniela mainardi em

Geração Z e as criptomoedas

Segundo o site Livecoins, uma pesquisa feita pela ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) revelou que a geração z entende mais sobre criptomoedas do que a geração anterior, os millenials. A pesquisa, realizada em parceria com a Datafolha, procurou entender o comportamento dos investidores de diferentes faixas etárias. Assim, ouviram 3,4mil pessoas economicamente ativas nas classes A,B e C de todo o país.
Segundo a pesquisa, 43,1% dos millenials (25 a 40 anos) entrevistados não conhecem nada sobre investimento e 51,8% da geração z (9 a 24 anos) também não possui conhecimento sobre o assunto. Porém, quando o assunto é criptomoedas a geração z se destaca com 6,3% dos entrevistados afirmando que conhecem o assunto e 2,8% já investem nesses ativos. Além disso, outro ponto destacado foi que 48% dos entrevistados da geração x (41 a 56 anos), disseram não saber nada sobre investimentos.

Bitcoin e Ethereum em semana movimentada

O Bitcoin chegou aos US$35mil durante a semana mas recuou para os US$32mil. Enquanto isso, o Ethereum valorizou 2,72%, chegando aos US$2,3mil e depois recuou para US$2,1mil. Do mesmo modo, como comentamos semana passada, os especialistas têm boas estimativas para o Bitcoin ultrapassando os US$35mil. Segundo o trader Michaël van de Poppe, “Se US$ 35.500 romperem, acho que teremos uma corrida para até US$ 39.000”.

Argentina e as criptomoedas

Enquanto isso na Argentina, foi protocolada um projeto de lei que permite os trabalhadores do país receberem o salário em criptomoedas. Assim, segundo o site CriptoFácil, o trabalhador poderá escolher se quer receber todo ou parte do salário em criptomoedas. Além disso, o trabalhador também poderá escolher qual criptomoeda prefere receber o pagamento. Esse projeto de lei do deputado José Luiz Ramón, é uma tentativa de salvar a população da pobreza. Afinal, o uso de criptos é disseminado na Argentina e a mineração de Bitcoin prosperou em razão da energia subsidiada e o clima favorável do país.


Você já nos acompanha nas redes sociais? Siga a Ubuntu Finanças no Facebook, Instagram e Linkedin e fique por dentro das novidades.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × três =