Economista Kenneth Rogoff, que chamava o Bitcoin de bolha, agora afirma que a cripto é um importante meio de troca

Publicado por daniela mainardi em

Economista reconhece Bitcoin como meio de troca

O economista e professor de Harvard, Kenneth Rogoff, depois de chamar o Bitcoin de bolha, agora o reconheceu como importante meio de troca. Segundo o Live Coins, isso aconteceu devido a um recente estudo feito por Rogoff e outros economistas como Carmen Reinhart, economista chefe do Grupo Banco Mundial e Clemens Graf von Lucker, também do Banco Mundial. Assim, neste estudo, Rogoff e seus colegas concluíram que o Bitcoin é uma moeda de troca para transações internacionais, em especial para países que estão enfrentando instabilidades econômicas. Eles usaram um algorítimo que analisou cerca de 4 anos de transações processados pela plataforma LocalBitcoins. Sobretudo, pelo fato de 7% das transações mostrarem o Bitcoin como moeda de troca, foi o suficiente para ele ser validado como não especulativo.

Bitcoin como moeda legal

Segundo Alexander Höptner, CEO da BitMEX(plataforma de compra e venda de criptos), mais quatro países têm fortes chances de adotar o Bitcoin como moeda legal em 2022. Essa informação foi postada do blog da empresa, segundo o CriptoFácil. Isso porque o CEO acredita que o movimento de adoção do Bitcoin, liderado por El Salvador, ganhará força até o final de 2021. Assim, ele comenta que “Até o final do ano que vem, teremos pelo menos cinco países que aceitam Bitcoin como moeda legal. Todos serão países em desenvolvimento”. Segundo Höptner, países em desenvolvimento têm motivos específicos para adotar o Bitcoin como moeda legal. Um desses motivos seria a necessidade de remessas internacionais mais baratas e rápidas, e os outros motivos seriam inflação maciça e questões políticas. Afinal, Höptner enfatizou que, cada vez mais, as pessoas ao redor do mundo estão percebendo o Bitcoin como uma solução para enfrentar a inflação.

Cristo Redentor não quer ficar de fora

Um dos cartões-postais mais famosos do Brasil, também não quer ficar de fora das criptomoedas. Isso porque em 2022, a construção do Cristo Redentor comemora 100 anos e o Santuário Cristo Redentor lançou recentemente um fundo de investimento. Segundo o Coin Telegraph, o fundo Cristo Redentor FIC FMI CP, já foi aprovado pela CVM e também está previsto o lançamento de uma criptomoeda própria. Assim, segundo padre Omar Raposo, reitor do Santuário Cristo Redentor, a criptomoeda do Cristo será uma moeda de comemoração, como um token não fungível (NFT). Além disso, também serão lançados outros produtos comemorativos como pingentes com a imagem do Cristo, na rede de joalherias Hstern, e uma cachaça própria chamada Cachaça Redentor fabricada pela Única 7 Engenhos.


Você já nos acompanha nas redes sociais? Siga a Ubuntu Finanças no Facebook, Instagram e Linkedin e fique por dentro das novidades.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × cinco =