Como estão sendo usadas as doações em criptomoedas na guerra da Ucrânia?

Publicado por daniela mainardi em

Criptomoedas e a guerra da Ucrânia

Desde o início da guerra, em 24 de fevereiro, a Ucrânia já recebeu em torno de US$63,8milhões em doações com criptomoedas. Assim, segundo a matéria do Money Times, o país transformou essas doações em coletes à prova de balas, alimentos, medicamentos e outros suprimentos para o exército. Além disso, o vice-ministro de Transformação Digital da Ucrânia, Alex Bornyakov, compartilhou uma lista de tudo que foi comprado com as doações me criptos. “Os criptoativos se provaram extremamente úteis em facilitar a entrada de fundos para as Forças Armadas da Ucrânia”, comentou Bornyakov. O primeiro pedido de doação de criptomoedas foi feito na conta oficial do país no Twitter, no dia 26 de fevereiro. No início, a Ucrânia pediu por doações em Bitcoin, Ethereum e Tether, mas dias depois passou a aceitar também Polkadot e Dogecoin.

União Europeia vota a favor da mineração de Bitcoin

Ainda na Europa, através da Comissão dos Assuntos Econômicos e Monetários do Parlamento Europeu, aconteceu a aprovação da mineração de Bitcoin e Ethereum. A mineração não estava ilegal, mas haviam várias dúvidas e lacunas nos reguladores até então, segundo o Cripto Fácil. Assim, no início dessa semana, a comissão votou a favor da mineração liberando a atividade em todas as nações da União Europeia. Além disso, o processo de mineração dessas criptos segue no radar dos legisladores da União Europeia com o intuito de minimizar o impacto do uso de energia em todo o processo.

Já garantiu seu Bitcoin?

Segundo o analista da Suno Research, Tiago Reis, o momento de comprar Bitcoin é o agora. “Se eu fosse comprar, compraria hoje.” comentou Tiago essa semana. Além disso, o analista também destacou que “Historicamente, os piores momentos para comprar é quando muitos interessados querem. E os melhores momentos são quando ninguém quer. Isso vale para qualquer ativo”. Afinal, é aquela dica que os especialistas sempre destacam para vários tipos de ativos: comprar na baixa, para vender na alta. Tiago destaca também que é preciso entender que as baixas fazem parte do mercado e é necessário saber quanto utilizá-las ao seu favor: “(…) se você precisa de preços subindo para ter confiança é porque você não sabe o que está fazendo”.


Você já nos acompanha nas redes sociais? Siga a Ubuntu Finanças no Facebook, Instagram e Linkedin e fique por dentro das novidades.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis + doze =