Bitcoin em queda? Entenda as causas antes de se preocupar

Publicado por daniela mainardi em

Queda no Bitcoin e o mercado

O Bitcoin esteve em queda nas últimas semanas, mas não é preciso entrar em pânico. Visto que no fim e início de ano o mercado tende a ficar instável, essa realidade do Bitcoin e outras criptos é bem compreensível. Além disso, outro fator que influenciou nessa queda foi a espera pelo anúncio dos juros da FED (Sistema de Reservas Federal dos Estados Unidos). Isso significa que até essa informação ser divulgada, é provável que não tenha subida. Afinal, isso acontece pois as criptos vêm funcionando com uma estratégia de proteção contra a inflação. Em janeiro de 2018, por exemplo, o Bitcoin teve queda, chegou aos US$17mil e depois de um ano já tinha valorizado 90%. Ainda que desperte atenção dos investidores, essa baixa não é motivo de preocupação. Você pode conferir mais informações na matéria do Istoé Dinheiro.

Queda do Bitcoin é a alegria de muitos

Enquanto muita gente fica preocupada com a queda da cripto, outros estão felizes com a oportunidade de comprar na baixa. Isso acontece, pois os investidores sabem que é apenas uma questão de tempo para a criptomoeda se recuperar e valorizar novamente. Além disso, os especialistas ressaltam que o período não deve ser visto com pessimismo e sim como uma oportunidade, segundo o Coin Telegraph. Afinal, só entre os dias 15 e 21 de janeiro desse ano, novos investidores de criptomoedas fizeram investimentos de US$14,4milhões. “Estamos vendo a inflação subindo forte no mundo, o que impacta todas as bolsas globais como a  Nasdaq e a  S&P 500. E criptomoeda, por ser um ativo de renda variável, oscila muito. Tudo que é variável sofre com aumento do FED. Mas, apesar disso, eu ainda acredito que 2022 será um ano bem positivo para o bitcoin”, comentou Felipe Veloso, economista, para o Coin Telegraph.

E quanto tempo leva para recuperar?

Essa é uma pergunta que não tem resposta exata. Afinal, assim como o mercado financeiro tradicional, o mercado de criptoativos também não é uma ciência exata. O que acontecem são as especulações por meio de analistas do mercado baseado em dados passados. Mas uma coisa é certa: as criptos ainda tem muita história pela frente.


Você já nos acompanha nas redes sociais? Siga a Ubuntu Finanças no Facebook, Instagram e Linkedin e fique por dentro das novidades.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 + dezenove =